domingo, 15 de agosto de 2010

Aquecimento global prejudica plantações de arroz


A partir de estudos em seis dos principais países produtores de arroz, todos do Leste e Sudeste Asiático, cientistas americanos afirmam que as mudanças climáticas atrapalham o desenvolvimento das plantações. Foram analisadas 227 propriedades rurais, em que se observaram as alterações do clima nos últimos anos e o rendimento das lavouras de arroz.

Nas Filipinas, por exemplo, um estudo iniciado em 2004 constatou que o rendimento das plantações caía 10% a cada aumento de 1° C a temperatura à noite. Contudo, estes dados foram feitos em laboratório, nos centros de pesquisas agrícolas, e alguns cientistas duvidaram que fosse possível aplicar os conceitos de plantação a céu aberto para um lugar fechado.

Por essa razão, este novo estudo foi fazer experiências diretamente nos latifúndios, modernos ou não. Os principais pontos de pesquisa foram regiões na Índia, no estado de Tamil Nandu, e na China, nos arredores de Xangai. Agora, não restam dúvidas: com o aumento das temperaturas mínimas registradas durante a noite, há prejuízo nas plantações.

Ao que parece, isso acontece porque o arroz respira mais com as noites mais quentes, gasta mais energia e tem menor eficiência na fotossíntese. Assim, a planta não se desenvolve tanto quanto deveria. De dia, ao contrário, o efeito é benéfico, mas o impacto é menor do que o prejuízo noturno. O saldo, portanto, é negativo.

Os cientistas agora pesquisam para saber se em outras culturas, além do arroz, pode haver influência das mudanças climáticas. Uma avaliação dos pesquisadores afirma que os pequenos aumentos de temperatura, de até 3° C, podem ser inofensivos, mas se superar isso deve afetar todas as lavouras, sem exceção. A crise da fome, que existe mesmo enquanto não há baixa produção de alimentos, poderá ser agravada se isso começar a acontecer. [BBC News]

http://hypescience.com/aquecimento-global-prejudica-plantacoes-de-arroz/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+feedburner/xgpv+(HypeScience)

HYPESCIENCE