sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Fukang: a misteriosa beleza extraterrestre


Um explorador anônimo encontrou no ano 2000 um meteorito no deserto de Gobi, na China. À primeira vista, não parecia nada interessante. Mais tarde, quando uma amostra foi retirada da rocha, a beleza de sua estrutura complexa veio à luz. Trata-se de um meteorito de palasita, uma mistura de uma liga de níquel, ferro e olivina.
O níquel-ferro forma uma estrutura esponjosa onde a olivina se esconde, como gotas de mel em um favo prateado. Acredita-se que as palasitas sejam remanescentes do período da formação dos planetas, 4,5 bilhões de anos atrás, e que tenham se formado no interior de asteroides. Representando só 1% de todos os meteoritos, elas são um dos mais raros tipos desse objeto espacial, com apenas 61 registrados, dos quais 10 foram encontrados na Antártida, e quais quatro tiveram sua queda observada.

As palasitas têm seu nome em homenagem ao naturalista alemão Peter Pallas, que no século 18 descreveu esses meteoritos. Nos anos 1790, elas foram usadas por E. F. Fk. Chladni para demonstrar que a queda de meteoritos era uma realidade, já que na época os cientistas consideravam a ideia toda uma fantasia.
Originalmente, o meteorito Fukang tinha cerca de 1.003 kg. Logo após ser descoberto, uma pedaço de cerca de 20 kg foi removido. Atualmente, 62 kg estão em laboratórios para estudo, e um colecionador particular tem o resto do meteorito.
Em 2008, um pedaço de 419 kg foi oferecido para compra pela casa de leilões Bonham, de Nova Iorque (EUA). O valor esperado era de US$ 2 milhões (cerca de R$ 4 milhões), mas o meteorito não foi arrematado. Ainda assim, pedaços com pouco mais de 24 gramas são oferecidos na internet por preços próximos de US$ 500 (cerca de R$ 1.000,00, ou R$ 20,00 por grama de meteorito).
[UpAll, DailyMail]