sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Relatório diz que “controle da mente” é o futuro das guerras


Um novo relatório concluiu que as guerras do futuro podem ser decididas através da manipulação da mente das pessoas.
A pesquisa adverte que as potenciais aplicações militares de avanços na neurociência têm de ser acompanhadas mais de perto.
“Novas tecnologias de imagem permitirão novos alvos no cérebro, e enquanto alguns serão de vital importância para a medicina, outros podem ser usados para incapacitar as pessoas”, disse o cientista Rod Flower, da Universidade de Londres.
O relatório descreve como essa tecnologia está permitindo que organizações como a Defense Advanced Research Projects Agency dos EUA (a DARPA, Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa) testem maneiras de melhorar a agilidade mental e capacidades dos soldados americanos.
A neurociência também pode permitir que soldados operem armamento remotamente, através de interfaces mente-máquina.
Outra pesquisa poderia ser usada para fabricar gases e eletrônicos que desativem temporariamente as forças inimigas. Isso potencialmente viola direitos humanos, através da interferência de processos de pensamento, e gera a ameaça de matanças indiscriminadas.
Por exemplo, o painel de cientistas envolvidos no relatório destacou uma situação ocorrida em 2002, em que forças de segurança russas acabaram com um cerco reféns em um teatro de Moscou preenchendo o local com fentanil, um gás anestésico. Junto com os criminosos, 125 reféns morreram.
A Convenção de Armas Químicas é vaga sobre se tais incapacitantes são legais. Os cientistas pedem que ambiguidades como essa sejam resolvidas.[NewScientist]
http://hypescience.com/relatorio-diz-que-controle-da-mente-e-o-futuro-das-guerras/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedburner%2Fxgpv+%28HypeScience%29
Hypescience