sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Russos compram "kit" de sobrevivência para o fim do mundo


A profecia maia que vaticina o fim do mundo para o próximo dia 21 está a ser levada demasiado a sério na Rússia. De tal forma que o primeiro-ministro, Dimitri Medvédev, foi obrigado a vir a público desmentir o apocalipse. Mesmo assim, na cidade siberiana de Tomsk, um "kit" de sobrevivência converteu-se num êxito de vendas.
http://www.jn.pt
Tem cereais, uma barra de sabão, um canivete, pastilhas purificadoras de água, um estojo de primeiros-socorros, velas, uma caixa de fósforos e - como não podia deixar de ser - uma garrafa de vodka. O "kit" de sobrevivência para o fim de mundo, que a profecia maia antevê para o dia 21, custa 1000 rublos (cerca de 25 euros) e tem tido uma elevada procura na cidade de Tomsk, na Sibéria.
Dimitri Medvédev já veio a público pedir calma e explicar que a profecia maia não fala do fim do mundo, mas tão só de uma mudança de ciclo. Contudo, alguns canais de televisão decidiram "explorar" a ideia do fim do mundo e dar "dicas" do que fazer, para onde fugir, que regiões do país poderão ser mais seguras....
O governador da república de Atai, na fronteira com o Cazaquistão, ficou muito satisfeito com a publicidade que muitos canais de televisão fizeram às montanhas da região, que foram classificadas como a única região do planeta que não será afetada pela "chuva de fogo", inundações e terramotos que surgirão com o "fim do mundo". A "publicidade" feita à região tem levado para ali muitos forasteiros, o que para os cofres de Atai é muito bom.
Noutras regiões, populares escavaram galerias subterrâneas e providenciaram alimentos e outros bens que garantam a sobrevivência. A corrida aos supermercados fez com quem muitos ficassem sem velas e caixas de fósforos, por exemplo.