sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

5 lugares tão misteriosos quanto o Triângulo das Bermudas





1 – Montanhas da Superstição
Com um nome assim, é evidente que o local só poderia ser misterioso! As Montanhas da Superstição ficam no Arizona e, segundo a lenda, foi o local no qual um homem chamado Jacob Waltz encontrou uma mina de ouro no século 19. Acontece que Waltz jamais revelou a localização da mina a ninguém, levando esse segredo para o túmulo, e inúmeras expedições organizadas para encontrá-la falharam.

http://www.megacurioso.com.br

Algumas pessoas acreditam que os espíritos dos que morreram tentando encontrar a mina continuam vagando pelas montanhas, e os nativos norte-americanos dizem que os tesouros do local são guardados por criaturas que habitam túneis e cavernas subterrâneas. Mas a melhor história é a dos apaches, que creem que a entrada para o inferno está localizada bem ali.
2 – Lago Angikuni
Se você acha que o sumiço de aviões e navios seja algo muito estranho, imagine então um local no qual um vilarejo inteiro desapareceu! Tudo aconteceu em 1930, quando um caçador que conhecia bem a região do Lago Angikuni, no Canadá, procurando por um local para passar a noite, descobriu que os habitantes de um vilarejo no qual ele costumava se hospedar haviam desaparecido, deixando tudo — como alimentos, roupas e armas — para trás.
O caçador também encontrou sete cães usados para puxar trenós mortos de inanição, e uma sepultura do cemitério local havia sido aberta e estava vazia. Ainda de acordo com o mito, algumas luzes estranhas teriam sido vistas sobre o vilarejo quando os habitantes desapareceram. O mistério sobre o que pode ter acontecido jamais foi desvendado, e as teorias mais comuns culpam fantasmas, extraterrestres e até mesmo vampiros pelo sumiço dos aldeões.
 3 – Triângulo do Lago Michigan
Assim como o Triângulo das Bermudas, supostamente existe uma região no Lago Michigan na qual ocorreram desaparecimentos estranhos envolvendo pessoas, aeronaves e embarcações. Um dos mais famosos foi o caso do voo 2501 da Northwest Orient Airlines, que em 1950 sumiu com 55 passageiros a bordo. O avião — um Douglas DC-4 — ia de Nova York para Minneapolis, mas, devido ao mau tempo, desviou sua rota, passando sobre o lago.
Perto da meia-noite, o piloto Robert C. Lind solicitou permissão para diminuir a altitude de 3.500 para 2.500 pés, e esse foi o último contato com a aeronave. Uma grande operação de busca foi organizada, incluindo o uso de um sonar e arrastão no fundo do lago. Apenas destroços pequenos, pedacinhos de estofamento e fragmentos de corpos humanos foram encontrados boiando na superfície, e os mergulhadores jamais encontraram a fuselagem do avião.
4 – Triângulo de Bennington
Olha mais um triângulo sinistro aqui na nossa lista! Situado próximo a Vermont, nos EUA, este local foi palco de ao menos cinco sumiços misteriosos entre 1945 e 1950. O primeiro foi o de um homem chamado Middie Rivers, que liderava um grupo de caçadores. Quando todos voltavam para o acampamento, ele se distanciou um pouco dos companheiros e nunca mais foi encontrado.
Depois foi a vez de uma moça chamada Paula Welden, que sumiu sem deixar pistas quando fazia uma trilha na área. A próxima vítima foi o veterano de guerra James Tetford e, depois dele, um garotinho de 8 anos de idade chamado Paul Jepson, que desapareceu. Nenhum rastro foi encontrado. O último sumiço envolveu uma mulher chamada Frieda Langer.
Frieda estava com uma prima quando escorregou em um córrego e decidiu voltar para trocar as roupas molhadas. Então, adivinhe... Ela também desapareceu, mas, ao contrário das outras vítimas, seu corpo foi encontrado cerca de 6 meses depois em uma área que já havia sido minuciosamente vasculhada. Entretanto, o cadáver estava tão mutilado que a causa da morte não pode ser determinada. Os mistérios de Bennington nunca foram esclarecidos.
5 – Anomalia do Atlântico Sul
Este lugar é mais curioso que sinistro e, em vez de estar localizado na superfície da Terra, se encontra sobre uma área próxima à costa brasileira. A Anomalia do Atlântico Sul é uma região na qual o cinturão de Van Allen — sistema de anéis de radiação — tem sua máxima aproximação com a superfície do planeta.
O interessante é que, graças à alta concentração de partículas que existe ali, satélites, espaçonaves e outros equipamentos costumam apresentar uma variedade de problemas quando sobrevoam essa área. Tanto que o pessoal da Estação Espacial Internacional evita sair ao espaço para fazer reparos quando estão passando sobre a Anomalia e, além de problemas técnicos, vários astronautas disseram ter visto luzes estranhas e “estrelas cadentes” na região.
Fonte(s)