sábado, 28 de setembro de 2013

Temperatura da Terra pode subir 4,8 graus até 2100, aponta ONU



Última década foi a mais quente já registrada.
No Brasil, a chuva reduziria 20% no leste da Amazônia e no Nordeste.
Roberto Paiva São Paulo, SP
http://g1.globo.com/
Um estudo realizado por cientistas que trabalham para a ONU faz um alerta: a temperatura na Terra pode aumentar 4,8 graus até 2100. Segundo Michel Jarraud, secretário-geral da Organização Meteorológica da ONU, a década passada foi a mais quente já registrada. “A década entre 2001 e 2010 teve o recorde de ser a mais quente de todas, comprovando a tendência de aquecimento global. Nunca foram quebrados tantos recordes de temperatura”, ele afirma.
Como consequência do aquecimento, no fim do século, a extensão de gelo no Ártico pode diminuir até 94% durante os verões. Além disso, o nível dos oceanos deve subir 82 centímetros.
No Brasil, projeções indicam que um dos efeitos do aquecimento global seria  a redução de 20% de chuva no leste da Amazônia e no Nordeste. Até o final do ano que vem, serão produzidos mais três relátorios que, juntamente com esse que está sendo divulgado agora, poderão servir de base para futuras negociações climáticas entre países de todo mundo. “A ideia é que os tomadores de decisão assimilem essas decisões científicas, esses conhecimentos e os utilizem para implementar políticas públicas”, explica José Marengo, pesquisador do INPE.
Oswaldo Lucon, integrante do IPCC, é um dos cientistas brasileiros que participam dos estudos. Ele trabalha no relatório que apontará como diminuir os estragos provocados pelo homem no planeta. “O estudo mostra que há possibilidades de reduzir essas emissões e, em consequência, mitigar esses aumentos de temperatura a custos que ainda são acessiveis. Quanto mais demorar, mais caro vai ficar”, pontua Lucon.